top of page

Ilha do Mel - Doçura de lugar


Dicas de viagens para Ilha do Mel

Aquele lugar que temos certeza que teremos contato com a Natureza. Pés na areia, surf garantido nas praias de fora, caiaque e stand up nas praias de dentro, rolé de bike pelo litoral, paisagens intermináveis... só de pensar no espetáculo do nascer do sol fico agradecida pela boa recepção da ilha. A ilha é considerada um dos pontos mais famosos de praia no Estado no Paraná, tenho que concordar que a fama é bem merecida.

Lugar de fácil acesso pelo continente, de barca 30 minutos, de lancha 8 minutos. Além de pertinho de Curitiba, capital do Estado.



O que fazer:


Entendendo a Ilha: Ela tem formato de uma baleia, na cabeça uma grande área de preservação ambiental que é um pouco difícil o acesso, poucos turistas chegam. No meio da Ilha fica a comunidade Nova Brasilia, região mais badalada e na cauda da baleia a comunidade de Encantadas, com uma boa infra. Outros locais de destaque na Ilha são a Praia Grande, Fortaleza, Farol das Conchas e a Baía dos golfinhos.


Eu preferi ficar hospedada na comunidade das Encantadas. Logo no primeiro dia que acordei na Ilha preferi fazer a trilha mais longa, a ideia era pegar praticamente todo trecho do mar de fora. Seguindo para direção da praça de alimentação cheguei na praia de fora e segui a trilha pela mata de fácil acesso.

Praia de fora | Muito procurada para o surf, tem aproximadamente 400 metros de extensão. Piscinas naturais são formadas na maré baixa e muitas estrelas do mar podem ser vistas.


É necessário passar pelo morro do sabão para continuar seguindo na trilha. A subida é simples, mas se tiver molhada já vai entender o porquê desse nome. Dei sorte e estava sequinho, mas os degraus são de pedras bem lisas. Após atravessar o morro cheguei na praia do Miguel.


Praia do Miguel | É uma das praias mais bem preservada da região, proibida de qualquer construção. Ideal para quem gosta de praias menos movimentadas.


Seguindo na trilha, para passar adiante para a próxima praia, temos que passar por algumas rochas.









É recomendado seguir a trilha na maré baixa, pois nesse trecho tem que passar por pedras, que inclusive tem uma pedra estreita seguindo o caminho por baixo que fica bem mais fácil. Já na maré alta esse caminho fica impedido pela água batendo nas pedras. Por cima das pedras também tem condições de ir, porém exige mais experiência em caminhada, como se fosse uma "escalaminhada".







Praia Grande | Seu acesso é feito por trilha, o que faz com que seja pouco conhecida. Uma delicia de lugar, existem 2 bares, um em cada extremo da praia, que contribuem a ficar mais tempo por lá. Mar convidativo para o surf e para o mergulho. Dando continuidade a trilha rumo ao Farol da Conchas.


Farol das Conchas , praia do Farol e praia de fora do Farol | A vista do Farol é espetacular, vale a pena subir os 150 degraus e a rampa que levam ao topo. A praia do Farol é uma das mais procuradas pelos turistas e a praia de fora em formato de ferradura é a mais procurada pelos surfistas.

Gruta das Encantadas | O ideal da gruta é fazer a visita na maré baixa pois ela fica no nível do mar. Fica na praia de Fora das Encantadas, é uma das imagens clássicas da ilha.

Estava em grupo e contratei um serviço de lancha para percorrer o restante da Ilha que é de mais difícil acesso. O Passeio saia das Encantadas em direção a Fortaleza de Nossa Senhora dos Prazeres, depois paradinha na baía dos golfinhos para admira-los, ponta Oeste no outro extremo da Ilha, praia do Limoeiro foi uma paradinha a pedido para almoçar e retorno para Encantadas. O valor é tabelado e sai R$80,00 por pessoa, o roteiro padrão é bem parecido e pode ser contratado num quiosque ao lado do trapiche.


Fortaleza de Nossa Senhora dos Prazeres | Um dos cartões postais da região. Preferi chegar de barco. Na maré baixa pode ser feita caminhada pela praia ou pode alugar uma bicicleta (média R$70,00 a diária) partindo de Nova Brasília. Já na maré alta, para terem conhecimento, existe uma trilha paralela. O forte fica na beira do mar e dentro possui um trilha que leva ao Mirante da Fortaleza com uma bela vista.


Baía dos Golfinhos | É um passeio que só pode ser feito de barco, paramos a lancha próximo a Ilha das Peças e ficamos admirando os golfinhos nadando.



Ponta Oeste | Apenas acessível de barco, muito conhecido pela criação de ostras. Os bares oferecem ostras fresquinhas. Mar bem calmo. De suas areias avista-se a passagem dos navios rumo ao Porto de Paranaguá.


Praia do Limoeiro | Uma praia de Nova Brasilia com águas calmas com vista para o continente.



Prainha - Encantadas | praia com muito movimento, porém de banho impróprio. Onde fica o Trapiche de embarque e desembarque. Possui restaurantes e mercados.



Quando ir:


A melhor época é de dezembro a março. Costuma chover ao longo do ano, no inverno capriche no casaco.


Onde ficar:


Preferi ficar na comunidade das Encantadas e escolhi em cheio a pousada. A pousada do Carlitos te faz se sentir em casa. Tem uma cozinha compartilhada para os hospedes e churrasqueira. Sr Carlitos bem receptivo e agradável, assim como dona Irene muito simpática. Os quartos com boa cama e ar-condicionado, bom café da manhã.


Como Chegar:


Estava em Curitiba, optei fazer o passeio de Trem até Morretes e depois pegar um transfer local para Pontal Sul. Tive que me programar pois o horário de saída do trem é apenas pela manhã. Falarei mais detalhes desse passeio em outro relato.

Chegando em Pontal do Sul, contratei o serviços Táxi Náutico - Ju Cris que transmitiu confiança, conforto e agilidade. E de fato foi mesmo, poderia pegar em qualquer horário e levou em torno de 8 minutos. Contato: (41)9189-9629 jucristransportes@gmail.com . Preço por pessoa de R$25,00, minimo de 4 pessoas por lancha.



Outras opções: Pode pegar a barca pra Ilha saindo de Pontal do Sul ou de Paranaguá – na primeira opção o trajeto é mais curto, em torno de 30 minutos; saindo de Paranaguá, leva 1h30. Em Pontal também tem mais possibilidades de horários de saída da barca – de meia em meia hora na temporada de verão, a partir das 8h, e de hora em hora em outros períodos. Você compra a passagem da barca no Terminal de Embarque em Pontal, custa R$ 35,00 para ida e volta, já incluída a taxa do IAP. Na hora de comprar a passagem, você escolhe se vai ficar hospedado em Brasília ou Encantadas.


No caso de ir de carro, para chegar em Pontal do Sul, deve pegar a estrada para litoral - BR 277, as placas informam as indicações. A maior parte da viagem é em pista dupla, depois tem 20 km em pista simples segue até Praia de Leste, seguindo até Pontal do Sul são mais 20 km em estradinha simples com muitas lombadas. Reserve dinheiro pra pagar o estacionamento, custa R$ 20,00 a diária. Na Náutica Ju Cris possui um estacionamento.


Pra ir de ônibus, deve comprar a passagem pela Auto-Viação Graciosa, com saída em Curitiba. Desce em frente ao terminal de embarque pra Ilha.


Dicas da região:


Tem alguns mercados na região e todos aceitam cartão. Porém vendem coisas básicas.


Não tem caixa eletrônico, porém muitos lugares aceitam cartão.


Não tem farmácia, garanta remédios básicos.


Tem alguns mosquitos, então não esqueça o repelente. Alguns lugares da ilha menos povoado pode deparar com os borrachudos.


Operadora: Tim que funciona na maior parte da Ilha. As demais, pegam em poucos lugares. Existe uma rede sem fio gratuita na Ilha.


Leve lanterna para circular a noite.


Existem carregadores de mala nos trapiches, cobram em torno de R$20,00


As praias costumam alugar cadeiras e barracas de praia.


Distância de cidades para :


Curitiba / Pontal do Paraná: 115 km Curitiba / Paranaguá: 95 km


– Travessia de barco:

Pontal do Paraná / Encantadas: 25 min Pontal do Paraná / Brasília: 30 – 40 min Paranaguá / Ilha do Mel: 1h30

Lancha Ju Cris Pontal / Encantandas - 8min





Visita em fevereiro de 2017

bottom of page